Sérgio Fonta

escritor, poeta, dramaturgo, ator, diretor de teatro e pesquisador

    Nasceu no Rio de Janeiro, é escritor, dramaturgo, diretor e ator, jŠ tendo trabalhado em mais de vinte espetáculos e novelas. Publicou seu primeiro livro em 1980, pela Ed. José Olympio (Sangue Central, poemas). Depois vieram Passageiros da Estrela (em 2ª edição), Conto que Contar um Conto Ganha um Ponto (adaptado para TV em 1993) e O Peixe que Virou Artista, também lançado pela Ed. JO (em 5ª edição) e escolhido pelo Projeto CIER para ser distribuído a crianças brasileiras residentes no Exterior. Uma crônica de Clarice Lispector com poema do autor, anteriormente publicado na coluna da escritora ("Jornal do Brasil"), consta dos volumes A Descoberta do Mundo (Ed. Nova Fronteira, Clarice Lispector) e Eu Sou uma Pergunta (Ed. Rocco, Teresa Cristina Montero). Já dirigiu também diversas peças em montagens e/ou leituras públicas, ganhando, em 2003, o Prêmio Marco Polo de Leituras, como Melhor Diretor.

    Tem três textos e dois roteiros para teatro, já encenados: Passageiros da Estrela (versão teatral com várias premiações), Tem Borrasca na Ribalta e República dos Prazeres. No campo dos roteiros / adaptações, chegaram aos palcos A Fúria do Corpo, do romance homônimo de João Gilberto Noll, e Flor do Milênio, poemas de Denise Emmer, com direção de Rubens Corrêa. Duas outras peças suas foram premiadas, traduzidas e transmitidas pela Radio de Colônia (Alemanha): Retórica da Morte e Vinte Anos com Você . Em Teatro e Poesia conquistou 11 premiações, entre elas o 1º lugar no IV Concurso Opinião de Dramaturgia, Menção Especial por Unanimidade no Prêmio Guararapes de Poesia, Prêmio UBE de Dramaturgia 1996 (1º lugar), e "Medalha Joaquim Norberto / 2000" como Autor e Pesquisador. Em 2002 foi realizada a leitura pública de sua peça Rua Feliz Lembrança, no Teatro SESI, sob a direção de Chico Anysio, tendo Osmar Prado, Francisco Milani e Luppe Gigliotti no elenco. Em 2004, outro texto seu - Temporada Popular a - foi apresentado em leitura na Casa da Gávea, sob a direção de Marcus Vinicius Faustini, com Tereza Seiblitz, e no Espaço Cultural Sergio Porto, com a Cia. de Teatro Brasileiro, durante o seminário "Das utopias ao mercado".

    Entre 97 e 99, através de ciclos de leitura, realizou na Sociedade Brasileira de Autores, com grande repercussão, um levantamento da dramaturgia nacional nos últimos cem anos. Em 98 ganhou a 4ª Bolsa RioArte de Artes Cênicas para pesquisar e escrever a peça O Lado Escuro dos Anjos, sobre o escritor Lima Barreto, e em 99 foi eleito Membro-Titular do PEN Clube do Brasil, preenchendo a vaga deixada por Dias Gomes. Em 2000 foi o coordenador geral do projeto "Palco nas Escolas", levando a dramaturgia brasileira para a rede municipal de ensino, alcançando 5.000 alunos. É membro do júri do Prêmio Shell de Teatro/RJ. Participou de diversos eventos teatrais no Brasil, entre eles o I Congresso Brasileiro de Dramaturgia (São Paulo), com a palestra "Olhares Femininos em Palcos Masculinos", onde analisou a dramaturgia feminina brasileira do século 19 ao 21. No momento escreve para a Funarte os livros Teatro Brasileiro (Anos 10 aos Anos 30): do Esplendor da Comédia ao Esboço das Idéias, Eixo Brasil / Um Guia-Mapa da Dramaturgia Nacional (Projeto Mambembão) e Pequena Crônica para um Palco Anunciado (um estudo sobre a evolução da dramaturgia brasileira no século XX).

    Como letrista, tem como parceiros: Roberto Gnattali (em Tem Borrasca na Ribalta), Nelson Melim (no musical República dos Prazeres) e Nestor de Hollanda Cavalcanti.

    E-mail para contato: Alazuli [alazuli@terra.com.br]

    Volta / Back

    Principal